logo-criacao-de-peixes.jpg









Criação de Peixes
Piscicultura
Problemas na Piscicultura
Espécies Cultivadas
Peixes em Aquário
Peixes Ornamentais
Fale Conosco
Mapa do Site








Criação de Peixes em Aquário
 
 aquario1.jpgCriar peixes em aquá rios não é uma coisa de outro mundo. Muita gente escolhe os peixes porque ele propicia um ambiente sereno; já outros escolhem por motivos de estética, afinal, os peixes são artefatos de decoração, pois eles costumam ser bastante coloridos, o que traz uma beleza natural ao local. A criação se torna simples pelo fato do animal não dar trabalho como outro animal doméstico, um cachorro, por exemplo.

Os peixes de aquário não são difíceis de ser mantidos. Eles comem menos do que os outros animais domésticos, não sujam tanto, e o que sujam, fica no próprio lugar, além da capacidade de deixar seu dono despreocupado na hora de viajar. Se for bem cuidadoso com os residentes do aquário, não terá problemas.

O Aquário
 

aquariodoce.jpgO aquário de água doce pode ser de qualquer tamanho e pode-se utilizar água da torneira, mas sua troca deve ser parcial. A manutenção é fácil, a temperatura atinge o equilíbrio rapidamente, as plantas decorativas são baratas e as doenças são comuns e podem ser facilmente tratadas. O custo é baixo e  um bom manejo é necessário, pois os peixes alcalinizam a água.

O aquário de água salgada deve ser espaçoso, a quantidade de água proporciona estabilidade, mas não são tão fáceis como os de água doce: precisam de cuidado redobrado. No caso de introduzir água doce no aquário de água salgada, tem que haver adaptação. O tamanho ideal para iniciar é um de 60x35 cm. Aquários pequenos são para aquariófilos (criador de peixes em aquários) experientes, porque, por incrível que pareça, os menores dão mais trabalho. Os pequenos são suscetíveis a diversas mudanças. Não é necessária a troca total de água, apenas retira-se cerca de 30% dela.

São essenciais os filtros externos, pois propiciam a filtragem mecânica e química da água, retêm as partículas de sujeira e carvão ativado. Uma vez por mês, trocam-se os refis. Lavá-los quinzenalmente é importante para o desempenho do filtro, que deve estar ligado 24 horas por dia.
 
Em aquários marinhos ou de água salgada,  os filtros e equipamentos são mais caros, o material é totalmente diferente, deve haver um sistema de resfriamento, de circulação, filtragem especial, em compensação é menos trabalhoso na manutenção; porém, ele deve ser adaptado segundo o ambiente marinho, com corais, rochas e minerais.


Na manutenção de qualquer aquário, são necessárias as seguintes observações:

? A filtração da água deve estar em dia; portanto, uma limpeza quinzenal nos refis é essencial, assim como efetuar a  troca deles trimestralmente;

? A iluminação deve estar correta. O excesso de luz é prejudicial aos peixes e a ausência prejudica as plantas, além de inibir a ação de bactérias necessárias à alimentação;

? Sifonar o fundo uma vez por semana para eliminar os detritos que por lá se instalam
aquariosal.jpg;
 
? Ter em mãos um kit para conferir os parâmetros da água. O pH não deve estar entre 6,5 e 7,5, sendo o ideal 7,0;

? É importante que a temperatura esteja na casa dos 26º e 28º C;

? Para o aquário cheio com água da torneira, deve-se verificar o DH (grau de dureza da água pela quantidade de sais contidos nela)  da água, para saber se há excesso de íons de cálcio e magnésio diluídos na água. Há peixes que preferem a água mais pesada, como o Joia e o Arautos.


O local

Quando for escolher o local, evite colocar o aquário em lugares com forte luminosidade, como janelas ou de  frente com portas, porque a claridade  de forma inadequada atrapalha os peixes. Aliás, é aconselhável escolher o lugar primeiro para depois encher o aquário com água, visto que ele deve ser posto em superfície plana.

Precauções

Higienize seu aquário com esponja, enxague com cautela para evitar qualquer tipo de acidentes. A temperatura do aquário deve ser entre 24º e 26º C e o pH entre 6,5 e 7,5, sete é o pH ideal, porque é neutro.

Em relação à alimentação, é importante ressaltar que toda vez em que for alimentar os peixinhos, sinalize. Dessa forma, os peixes saberão a hora da refeição. Sinalize com barulho, seja batida de leve no aquário, seja na madeira, depende da localização do aquário. Deve-se jogar de quatro a seis grãos de ração. Espere que eles comam todos, depois jogue mais alimento até que diminuam a agitação. Faças isso todos os dias.

Se deixar sobrar ou espalhar comida pelo aquário, a qualidade da água vai diminuir. A comida que sobra dentro apodrece e o  resultado disso será uma leva de peixes contraindo doenças.

Os peixes

Os peixes de aquário normalmente vivem em cardume. Por isso, não é bom que se compre individual ou aos pares. Adquira entre seis a oito peixes de cada espécie e, de preferência, comece com duas ou três espécies. Isso facilitará a manutenção e ainda contribuirá ecologicamente para a preservação das espécies. Confira abaixo a lista de alguns peixes apropriados para iniciar a criação.

O Guppy ou lebiste é um peixe de comportamento calmo. Bem resistentes, vivem cerca de dois anos. São multicoloridos e nadam no terço superior do aquário.

Coridoras, como os lebistes, são tranquilos. Apreciados pelos aquariófilos, revolvem a areia do fundo do aquário promovendo a limpeza do mesmo.

Os Barbos são coloridos, se adaptam facilmente, mas têm um comportamento temperamental. Os Barbos ouro são dóceis e de nado constante.

No caso do Beta, ele deve ser criado em um aquário sozinho ou com fêmeas da mesma espécie. Não se pode colocar peixes de outra espécie junto, uma vez que briga por território. Entretanto, é um peixe bonito e multicolorido.

Os Ciclídeos Anões são dóceis e se adaptam facilmente a vida no aquário. Convivem tranquilamente entre outras espécies.